Vídeo: A Moda do Minimalismo.

Vídeo

Você já notou como o minimalismo “está na moda”? Eu também…

😉

Anúncios

Em 2014…

ANO NOVO

Final de ano é sempre assim: em algum momento paramos para pensar no ano que se finda. Comecei a pensar pelo lado do blog e acabei pensando na vida. Minha cara!

Em 2014, eu comecei a aprender a lidar com essa coisa de blog. Em 2013 foram seis meses de posts, com um total de um pouco mais de 5 mil visualizações totais e uma média diária de 25. Já em 2014, foram mais de 60 mil visualizações com uma média diária de 200 visitas, de 96 países diferentes, e agora até vídeos tem! Melhorou bastante, né? Eu não criei o Não Nasci Diva para ganhar dinheiro, tampouco sonho em ser blogueira profissional, mas fico muito feliz em ver algo que nasceu de mim, tomando forma. Hoje eu aprendi a ter orgulho de tudo a que me proponho…

Criei o blog no ano passado como um presente/obrigação de aniversário. Após abraçar às cegas o que eu considero ser a maior, mais difícil e mais irracional decisão da minha vida, eu me vi perdida. O que eu tinha em mente até então precisava ser mudado e eu não sabia o que exatamente eu abraçaria do novo, tanto em propósito quanto em valores. Resultado: colapso de identidade! Haha. O blog veio como uma maneira de eu expressar o que me interessa, o que eu acharia valer a pena compartilhar. O nome veio da idéia de que não nascemos prontos, mas podemos chegar lá. Logo as postagens se delinearam e em 2014 o blog virou quase que exclusivamente maquiagens. No entanto, eu entendo beleza como qualquer coisa que nos faça bem, logo, nos torne belos/as, pois a beleza vem tanto de dentro quanto de fora… E volta e meia eu desabafo aqui também, mas os mais “fortes” eu deixo na sessão de devaneios. Enfim, eu criei esse blog e hoje ele é um espaço para exercitar minha autoestima, pois ele me “obriga” a passar um tempo comigo mesma, em frente ao espelho, algo raro nos dias de hoje. Com isso, passei a defender que maquiagem não é futilidade e sim autoconhecimento.

As incertezas e mudança de prioridades haviam começado há algum tempo, mas maio de 2013 não trouxe só meu aniversário, mas trouxe também o fim prematuro de uma vida que eu esperava ver se desenvolver e se tornar algo lindo. Eu não tenho irmãos, mas o Eduardo era o irmão mais novo da minha primeira e forever melhor amiga, sempre será o afilhado da minha mãe, e o único menino com quem eu convivi de perto e vi crescer. Aos 17 anos, ele faleceu após um incidente que até hoje não está bem explicado. Ele era tão cheio de vida, aventureiro, vivia intensamente, tinha zilhões de amigos e sempre estava ligado a tudo que fosse do bem. O fim dessa vida fez com que eu abraçasse a percepção de vida que estava sendo composta aos poucos na minha mente e ela é simples: nada é mais importante do que as pessoas que amamos. Clichè? Ô, se é! Mas também é uma verdade indubitável. Claro, sempre havará quem discorde. E isso também faz parte da vida: aceitar que cada pessoa é única, tem seus próprios valores e prioridades, e que todos merecemos respeito. Mas para mim, no fim de tudo, a vida é nada sem pessoas. Porque quando você chegar no topo da sua carreira, no alto da sua pilha de dinheiro, caso seja isso que almeje, você vai querer alguém para compartilhar sua felicidade. Seja uma paixão, um amigo ou sua família. Aplausos são sempre bem vindos, mas em geral sabemos qual aplauso é o mais importante.

Desde então, eu parei de me torturar por deixar um caminho para trás e não saber qual rumo deveria tomar. Eu entendi que a escolha já havido sido feita há algum tempo, desde que notei que se cada um seguisse o seu caminho, logo teríamos que nos separar. Eu só estava com dificuldades em aceitar que eu escolhera viver minha vida em função de outra vida, deixar os sonhos que eu achei ter, em função dos sonhos do outro. Este parece ser meu verdadeiro sonho: ajudar outros a chegar onde querem. E isso me faz tão bem… Claro que foi uma escolha MINHA e isso só foi possível de comum acordo e, como dinheiro (ainda) não cai do céu, tenho as atividades de maquiadora e consultora de beleza para que não me deixam completamente zerada… Eu também não descarto a possibilidade de voltar à Academia porque eu sei o quanto eu amo o conhecimento e partilhar conhecimento, então… Nossa! Como é bom! Mas caso aconteça, será em um outro nível e com ambições menores.

Esse ano de 2014 trouxe uma nova mudança, uma nova cidade COM-PLE-TA-MEN-TE diferente de tudo que eu estava acostumada. No início foi difícil mas, como tudo na vida, a gente acostuma! Eu já nem quero voltar a morar em Porto Alegre, mas é verdade que não pretendo ficar o resto da minha vida aqui… Mas com 2014 chegando ao fim, eu vejo que a cidade já me mudou, me fez ser um pouco mais desprendida de alguns comportamentos e entender que o que é bom pra mim não é bom pra todos e todos tem direito de escolha, assim como eu. Eu gostaria de mudar a cidade, chacoalhar um pouco, mas eu estou tão feliz em casa, lendo, escrevendo, cozinhando, organizando, amando…

Eu tenho impressão que passei grande parte da vida fazendo o que era esperado de mim. Não que me fosse imposto, eu apenas fazia porque eu sentia que era esperado, o que eu achava ser certo perante os outros. Mas em algum momento eu cansei e agora eu tenho a sensação que quero fazer absolutamente tudo ao contrário do que é esperado de uma “mulher moderna”. Eu não quero voar, eu quero ficar. Quero estar perto dos meus pais, de quem eu amo e quem me ama. Quero simplicidade, casamento, filhos, gatos, cachorros e horta! Ok. Quero uma viagem de vez em quando, mas com o dólar nesse valor… Melhor nem pensar!

Esse ano fiz a viagem que minha família há muito queria. Parecia tanto tempo, mas passou voando. Parece que foi mais rápido ainda quando perdi minhas fotos! 😦 E eu esperava que essa viagem mudasse algo em mim, me ajudasse a voltar minha mente para o lado profissional, que me fizesse, de novo, ter aquela vontade de voar e viver fora do país. Isso aconteceu por cerca de 30 minutos quando eu notei que teria que voltar para o Brasil. Mas foi só. No momento que cheguei em casa, onde meu noivo me esperava, fui tomada pelo sentimento de que meu lugar é com ele onde ele estiver. De repente, pareceu que nada jamais será melhor do que isso. Mas acredito que ter filhos será ainda melhor! Haha.

Em tempos no qual as pessoas pensam apenas em si e em sua carteira, eu me sinto um ser extraterrestre. E eu adoro isso! Eu sei que, ao menos por enquanto, deixo tudo aquilo que sempre me disseram que eu seria, em segundo plano. Entendo agora quando as pessoas falam nos filmes “vamos viver de amor”! Haha. Não é fácil, mas é bom demais. Talvez eu seja louca (I am not. My mother had me tested. – Sheldon style) e talvez eu sofra muito as consequências dessas escolhas. Mas eu tenho uma sensação muito forte de que essa e a coisa certa a fazer. Eu simplesmente não tenho dúvida… Tomara que eu esteja certa! Haha.

Enfim! Esse ano passou e trouxe com ele novos desafios, uma viagem linda, mais amor pelos que me cercam – embora eu não demonstre, porque simplesmente não é meu estilo! -, mas leva consigo algumas pessoas que não cabiam mais em minha vida, junto com alguns sentimentos que também precisavam ir… As vezes a gente se prende a coisas e pessoas que não fazem mais sentido em nossas vidas por pensar ser essa uma perda. Mas não é perda, não. É desapego…

Sempre fui muito apegada ao meu cérebro, minha inteligência. Esse ano me fez entender que o fato de não estar “mostrando” meu conhecimento não fará com que ele desapareça. Ele é meu para sempre e ninguém jamais tirará ele de mim. E acho que termina, também, levando minha preocupação constante com o que as pessoas pensam sobre mim. Nesse último ano eu aprendi a não me importar com como os outros me vêem. Se eu não estou atrapalhando a vida de ninguém, indo contra a lei ou algo assim, well, como diria Riri: “Ain’t nobody’s business!”. 

Minha lição de 2014?

A vida é minha e ninguém pode vivê-la se não eu mesma. Logo, preciso seguir o caminho que SINTO ser o mais correto…

3567c15a05390c47f100607ca454d0d4

Agradeço a todos que passaram por aqui ao longo desse ano! Nos vemos em 2015?

Feliz Ano Novo!

Vídeo: TAG – Te Conhecendo Melhor

A pedido de uma leitora/espectadora, respondida a TAG!

Perguntas:
1. Nome completo?
2. Onde nasceu e idade?
3. Onde mora atualmente?
4. Estado civil?
5. Filhos?
6. Comida favorita?
7. Comida que não gosta?
8. Qual bebida favorita?
9. O que você mais gosta em você fisicamente?
10. Como você se define?
11. Qual seu sonho?
12. Qual seu defeito?
13. Qual sua mania?
14. O que e importante em uma pessoa pra você?
15. Qual tipo de filme você gosta?
16. Estação favorita?
17. Quantos irmãos você tem?
18. Qual esporte você pratica?
19. Qual seu time?
20. Momento da vida marcante?
21. O que você fez que se arrependeu?
22. Doce ou Salgado?
23. Qual animal você gosta e qual não gosta?
24. Qual tipo de musica você curte e qual não curte?

😉

83339db2-fb6e-4a3d-80c6-aea05cc3472d