Gravidez: Enxoval de Bebê Importado

Sabe quando aquela blogueira famosa ou aquela amiga rica foi para a Disney e você ficou morrendo de inveja do enxoval lindo que ela comprou enquanto estava lá? Pois bem. Saiba que você pode ter seu enxoval de bebê importado, por redirecionamento.

Viu? Seus problemas acabaram! Hahahah. Ok. Não acabaram. Mas você pode fazer quase as mesmas compras que elas fizeram sem sair de casa. Do que você precisa? Dinheiro! Sim. Dinheiro. Disso não tem como fugir. 😦

Uma amiga fez o enxoval fora e eu fiquei babando. Então, ela me indicou uma pessoa que trabalha com redirecionamento de compras no exterior e fui atrás das informações. Depois de seguir alguns passos (e confirmar o sexo do bebê, claro!), decidi encarar a aventura…

[Quer saber o que “tem que ter” num enxoval de bebê? Então clique aqui!]

Primeiro: pesquisei as possibilidades de comprar Carter’s** no Brasil e encontrei, além do site da Riachuelo, algumas lojas com perfis no Instagram. Entrei em vários sites e comparei preços. Depois, eu entrava no site da Carter’s nos Estados Unidos e via que, mesmo convertendo nesse câmbio horroroso, o valor da peça saía pela metade do preço praticado no Brasil.
Segundo: pesquisei nas lojas de “free shop” de Rivera, cidade Uruguaia vizinha da minha, e notei que muitas peças saíam por um valor acima do praticado no mercado brasileiro, o que era ainda mais abusivo, principalmente por não haver imposto sobre os itens.
E terceiro: pesquisei nos sites do Enjoei e Ficou Pequeno a possibilidade de comprar usado e pagar o frete de cada peça. O que notei é que Carter’s é algo que não baixa de preço, e, mesmo um item usado, é “caro”, ainda mais se tiver que pagar frete em cada item.
Além desses três cenários, pesquisei diferentes prestadoras de serviço (você encontra facilmente no Instagram) quanto aos valores e também pesei as possibilidades de caso minha caixa de redirecionamento fosse selecionada para fiscalização alfandegária e eu tivesse que pagar 50% do valor total em impostos para os cofres públicos. Porque caso isso ocorra, é um problema SEU que não tem nada a ver com o serviço prestado. Ao contratar esse serviço você assume o RISCO de fiscalização e os encargos são SEUS. Claro que as prestadoras de serviço fazem o que podem para minimizar esse risco, afinal, elas não ganham nada em você ter suas compras retidas, mas é sim um risco só seu, pois o compromisso delas acaba uma vez que sua caixa foi enviada pelo correio.

**Eu sou #aloka da Carter’s porque me apaixonei pela qualidade e custo das roupas básicas de bebê da marca, como bodies e macacões.

Analisadas as três situações, aliadas ao fato de que eu teria que fazer um enxoval de bebê de qualquer maneira, resolvi encarar minha conta bancária e ir às compras online. Por que eu disse que precisa ter dinheiro? Porque nada é parcelado. Americanos não são amigos das prestações como nós brasileiros. Em compensação, os preços deles são bem mais baixos, né?! Então é preciso ter um cartão de crédito liberado para compras internacionais e saldo na conta para pagar a fatura no fim do mês, mais o ajuste cambial e IOF que vem especificado também na fatura, caso contrário você terá que parcelar sua fatura do cartão de crédito e os juros praticados são astronômicos, o que faz compra nenhuma valer a pena. Além disso, você precisa pagar o frete para o Brasil junto com a comissão do serviço de redirecionamento. TUDO EM DÓLAR! Mas esse serviço é pago por boleto, então é na hora que vem. Haha.

Feitas as considerações acima, eu me dei um valor para gastar que cobrisse todo esse cenário. Então, fiz minhas compras no site da Carter’s e também no site do Walmart americano, enviando para o endereço da prestadora de serviço. Ela recebeu as compras, fotografou, conferiu, organizou, embalou e pronto! Tudo certo para a entrega.

Da Carter’s eu comprei roupas básicas para o bebê e também roupas básicas e outras mais fofas para a Stella, afinal, não poderia chegar um monte de coisas novas para uma criança e não para a outra, não é? No Walmart comprei itens Child of Mine by Carter’s por serem mais em conta do que no site da Carter’s em si, e alguns itens de outras marcas como Gerber e Little Star Organics para testar, assim como um Desitin “roxo” e um saco de dormir. O saco de dormir é um item muito absurdamente mais barato nos EUA do que no Brasil. É impressionante a diferença… Você pode ver o que comprei clicando aqui. 

[Para saber a diferença entre Carter’s e Child of Mine, clique aqui!]

Então surge a pergunta: Por que eu eu preferi fazer um enxoval quase que exclusivamente da Carter’s? Simples: segurança. E isso vale para qualquer marca, na verdade. O que eu notei, é que cada marca de roupa tem “seu tamanho” e isso pode atrapalhar bastante no momento de fazer seu enxoval. Você compra um body RN de quatro lojas diferentes e cada um vem de um tamanho. Tenho bodies RN da Stella que variam em até sete centímetros um do outro. É bastante diferença! No entanto, para alguns pode ser um aspecto positivo ter uma grande variedade de tamanhos nas roupas. Eu, particularmente, não gosto. No entanto, eu notei que mesmo as roupas da Carter’s de um mesmo tamanho podem variar dependendo do país de origem de fabricação. Por exemplo, uma calça tamanho até três meses fabricada no Camboja é maior que outra calça para a mesma faixa etária fabricada no Vietnã. O macacão tamanho 4 que comprei para a Stella da Child of Mine é menor que o macacão tamanho 4 que comprei no site da Carter’s, pois mesmo sendo ambos da mesma marca, foram fabricados em lugares diferentes.

Mas e valeu a pena? REALMENTE valeu a pena o risco? Eu não vou especificar valores, mas você pode me contactar em particular para mais informações. No entanto posso dar um único body como exemplo de como o valor do frete + comissão acabaram por não interferir tanto no valor dos itens… Comprei um kit de três bodies no qual cada body saiu por R$ 9. Dividindo o valor do frete + comissão igualmente entre todos os itens, esse mesmo body passou ao valor de R$ 15. “Mas Raquel, aqui você encontra body de R$ 15 na ineternet!”. Sim, você encontra. Mas não da Carter’s. O mais barato que encontrei foi por R$ 22 cada body em um conjunto de cinco unidades. Caso eu ainda tivesse que pagar impostos devido a uma fiscalização alfandegária, esse mesmo body iria sair por cerca de R$ 20. Eu achei que valia a pena tentar. Além disso, um macacão de pelúcia bem quente para o inverno saiu por R$ 46 já considerando frete + comissão. Aqui, esse mesmo tipo de item custa em torno de R$ 99. Caso tivesse de pagar 50% do valor em impostos, sairia ainda por menos de R$ 70.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quanto a Carter’s é legal ressaltar que sempre tem alguma promoção rolando no site. Se você dá sorte, ainda consegue fazer suas compras num período chamado de FUN CASH, no qual você “recebe de volta” um valor sobre suas compras e tem um período estipulado para usar. Esse valor só pode ser usado para mais compras, claro, pois não é dinheiro de verdade mas sim um crédito na loja e suas parceiras. Eu tive sorte porque isso fez com que eu pudesse comprar um pouco mais do que eu previa, pois recebi esse crédito da minha primeira compra (que seria única…) e acabei podendo comprar mais coisas, incluindo algumas que eu não compraria se tivesse que pagar o preço “cheio”, como uma garrafinha da Skip Hop para a Stella (algo que considero uma grande futilidade, porém uma grande fofura!)

Por tudo isso, eu digo: FAZER UM ENXOVAL IMPORTADO VAI DEPENDER DAS SUAS PREFERÊNCIAS E PRIORIDADES. Eu não compro Carter’s porquê é lindo, fofo ou tá na moda. Eu compro Carter’s porque me apaixonei pela marca no primeiro item que comprei usado para a Stella no site “brechó online” Enjoei. A qualidade me surpreendeu e eu pude entender porque a marca é queridinha entre as mães. Ainda, com o serviço de redirecionamento você tem a possibilidade de comprar coisas que não são comuns no Brasil ou tem mesmo um preço absurdo. Por exemplo, uma mamadeira anti-cólica da MAM custa em torno de R$ 70 no Brasil. No site do Walmart americano com esses mesmo R$ 70 eu poderia comprar um jogo de três mamadeiras e duas chupetas. Sem contar as pomadas que não existem no Brasil como Desitin Extra Strengh ou A+D. Essas você só consegue nas lojas do Mercado Livre ou lojas de importados…

Você deve ter notado que neste post falo praticamente apenas em roupas. Isso ocorre porque realmente não comprei nada além disso. Ok. Na verdade comprei dois conjuntos de chupetas e uma pomada, mas foi só! Isso pode ser explicado por um post anterior no qual eu falo sobre o “essencial do enxoval”, e pelo fato de eu ter já uma criança de três anos dentro de casa. Ou seja, eu sei que algumas coisas não vale a pena comprar antes de conhecer o seu bebê. A pomada é uma delas, pois Stella nunca teve assaduras, e quando parecia que iria ter, eu usava um pouco de Desitin “roxo” que havia ganho de uma amiga e pronto. O perigo ia embora! Então, prefiro esperar para ver se o novo bebê ai ou não ter problemas de assadura, antes de gastar dinheiro com algo que talvez não tenha necessidade. Além disso, itens como toalhas de banho, babadores, mantas, cueiros e babinha eu tenho vários, os quais a Stella nem chegou a usar, pois como expliquei no post do enxoval essencial, ela não foi um bebê “sujão”.

“Mas e os sapatos?”, você deve estar se pergutando… Sapatos compro quase todos pelo site da TRICAE*. Sempre tem promoções que fazem com que os preços valham a pena. Além disso, é super fácil fazer a troca dos produtos quando não dão certo e tem DE TUDO. Já comprei roupas por lá também e nunca me arrependi.

Outros itens que acho que podem encarecer o frete e não considero essenciais são as mamadeiras, chupetas, termômetros de banheira, processador de alimentos e potes para papinha. Gente do céu… Para quê importar um termômetro de banheira que tem por R$ 35 numa farmácia? Prefiro “gastar” esse peso do frete com um body! Haha. E processador de alimentos? Sério? Usei meu Mini Processador Phillips e as papinhas certamente não estavam menos saborosas e nutritivas por isso. Potes para papinha? Qualquer marca de plásticos tem uma linha sem BPA nos dias de hoje, mas para quem gosta de vidros, como eu, gasta mais em um pote de vidro temperado que vai do freezer ao microondas e você pode usar na sua cozinha sem ficar olhando para borboletas e cachorrinhos a cada uso.

De uma coisa eu tenho certeza: sua criança não vai ser menos feliz porque sua papinha está num pote sem desenhos, ou se a temperatura de seu banho for testado com o cotovelo. FATO!

Espero que esse post possa ajudar quem está em dúvida sobre esses serviços de redirecionamento. Não esquece de seguir @raquelkriedt_nnd no Instagram, visitar a sessão de destaque sobre Enxoval de Bebê, e acompanhar a vinda da Victoria por lá!

😉

*Loja Parceira: comprando pelos links afiliados nesse post você está ajudando o blog.

Anúncios

Utensílios Importados para Introdução Alimentar do Bebê: vale ou não vale a pena?

Chegou a hora da Introdução Alimentar do bebê e você está ficando louca com as ínumeras opções de ítens nacionais e importados disponíveis para comprar?

Você é do tipo que pesquisa, pesquisa e pesquisa mais um pouco antes de comprar algum item pro seu bebê? Eu também! Você é do tipo que acha tudo frescura, mas quando o assunto é o bebê compra tudo que é frescura? Eu também! Haha!

Eu confesso que estava com medo da introdução alimentar. Stella teve cólicas severas e muitos gases até os seis meses de idade e eu só pensava que não poderia melhorar com comida de verdade, afinal, nós mesmos sofremos com isso a vida toda, certo? Pois bem. Eis que a menina tinha cinco meses e eu não tinha sequer uma colher de plástico em casa. Foi então que tive a oportunidade de fazer algumas compras dos Estados Unidos. (Abençoada seja a pessoa que trouxe uma caixa inteira com itens de alimentação para mim… A caixa era maior que a mala, gente! Que vergonha… #amoreterno)

Pesquisei a cada soneca da Stella, por dias, e acabei aproveitando várias promoções do site do Walmart americano e outro, e comprei tanta coisa, que vou guardar até para o segundo o filho! Sério, porque tem colheres que não usei e nem vou, porque a Stella agora quer garfo…

Escolhi fazer uma introdução alimentar mista, com BLW e papinha convencional.

O primeiro item que usei foi uma espécie de… alimentador?! É assim que chamam…

feeder

Se coloca a fruta no compartimento de silicone e ela sai pelos furinhos a medida que o bebê chupa.
Comprei esse item porque tinha medo que ela engasgasse com o BLW, o que aconteceu muito, mas nunca a ponto de ter de fazer a manobra de Heimlich. Muito legal o item, mas não usei quase nada, porque logo a quantidade que ele suporta fica pequena demais pro apetite do bebê.

Abaixo estão alguns itens que deram super certo e gostei bastante.

Alimentação.011

  1. Potinhos para a papinha Oxo Tot: Adorei esses potinhos! Fazia a papinha e colocava nos potinhos e direto no freezer. O fechamento da tampa é com silicone, o que assegura nenhuma entrada de ar ou vazamento. Na hora de descongelar é só tirar a tampa e colocar no microondas. O legal é que o pote tem gradação em ml, então você consegue saber quanto o bebê comeu. O chato é que a quantidade é pequena e logo fica pouco para o apetite do bebê. Esse não encontrei no Brasil, apenas um parecido.
  2. Prato Colorido Munchkin: O prato faz parte de um conjunto de cinco pratos que combinam com os bowls. Assim como todos que mencionei até agora, podem ir à lava-louças, freezer e microondas. Os pratos comecei a usar há pouco tempo e a capacidade rasa é a mesma do bowl, com a vantagem de poder separar bem os alimentos.
  3. Tigela Colorida Munchkin: Esse faz parte de um jogo com cinco bowls e esses eu uso muito. Foi o que mais usei até agora, porque as minhas papinhas sempre foram pastosas e, mesmo quando dava os alimentos separados, o pode é grande o suficiente para manter os alimentos separados. Esse deve ter capacidade de 300ml e é super prático.
  4. Tigela empilhável com Tampa Munchkin: Esse pote faz parte de um jogo de quatro potes com tampa e duas colheres. Nunca cheguei perto das colheres (eu disse que tinha comprado muita coisa…). Os potes tem cerca de 200ml cada e a tampa veda super bem. Nunca tive problemas de vazamento com eles!
  5. Colher Infantil Munchkin: Essa sim! Essa é a mais usada aqui em casa. Ela pega a maior quantidade de comida dentre as colheres de bebê que tenho, é macia o suficiente para não machucar, é bastante ergonômica e aguenta muitas mordidas! Ela faz parte de um jogo de seis colheres.
  6. Copo 360 Treinamento Antivazamento Munchkin: Gostei muito do conceito desse copo. Não conhecia, mas hoje sei que a Avent também tem sua versão. Eu achei muito legal porque, diferente dos copos de transição clássicos, esse não tem bico e o líquido sai quando a criança chupa. No entanto, a marca afirma que ele não vaza, mas não é o que acontece por aqui. Sem contar que quando a Stella deixa cair ou joga no chão, sai “bastante” líquido, o que é nada comparado aos copos de treinamento comuns.
  7. Pote Térmico Thermos Foogo: #muitoamor por esse pote. Primeiro porque não tinha pensado em um pote térmico como esse e, segundo, porque ele funciona muito bem e mantém a comida quente por muitas horas. Não achei nada equivalente por aqui, e o mais perto que encontrei foi o da $$Skip Hop (Haha!), mas li que não é tão bom quanto esse da Thermos.

Outro item muito bom que usei e uso bastante é uma forma de silicone para papinha. Até alguns meses atrás eu cozinhava os vegetais, amassava, colocava na forminha (30ml cada quadradinho) e congelava. Quando congelado eu tirava e estocava em saquinhos do tipo zip-lock. Era muito prático, pois na hora de comer era só pegar um ou dois quadradinhos de cada tipo e colocar no microondas. Hoje uso para fazer picolés, congelar caldos e coisas do tipo, visto que a Stella já come comida em pedaços.

Agora vamos ver alguns itens que não usei o quanto gostaria? Siiiiim!

Alimentação.013

  1. Colher Lift Munchkin: Aí está outro item que achei super inteligente, afinal, uma colher que não toca a mesa é muito mais higiênica do que as outras. No entanto, a quantidade de comida que ela comporta é muito pequena e logo a gente se cansa de tantas idas e vindas.
  2. Colher de Silicone Munchkin: Essa eu li maravilhas. Comprei o jogo com duas e durante um tempo foi só com elas que a Stella comeu. Acho que vale sim a pena no início, pois realmente não tem chance do bebê se machucar. Além disso, ela pode ser usada como mordedor! Haha. Mas ela carrega uma quantidade de comida que logo fica pequena para o apetite do bebê.
  3. Tigela com ventosa Munchkin: Outra coisa que achei genial! Imagina que demais um pote que gruda na mesa e o bebê não pode derrubar? Pois bem. Além do fato de que o pote ficando na mesa não impede da comida ir para o chão, a ventosa não gruda como deveria, ou melhor, gruda, mas desgruda. Testei na superfície plástica do cadeirão e na mesa de vidro. Em ambas ele fica grudado até soltar repentinamente, sozinho, sem razão alguma. Simplesmente PUFF. Solta! No entanto, eu uso assim mesmo, apenas fico conferindo se ainda está grudado…
  4. Prato Térmico Momma Lansinoh: Comprei esse prato por achar muito boa a idéia de poder colocar água quente para manter a comida morna. Assim que fui usar me dei conta que eu havia esquecido de um grande invento do século XX: o microondas. Não existe necessidade de um prato de água quente quando se tem um microondas, não é? Mas lembro que comprei também por achar muito legal o fato de ter a base emborrachada. Embora ele possa também ir ao microondas, como ele é maior que os demais pratos que iuso, como o da Munchkin, ele acaba ficando de lado.

Por fim, o Copo Momma Lansinoh: Super bem bolada a idéia de um copo redondo, ao estilo João Bobo, que não toca a mesa, chão, o que for. E é mesmo! Ele também tem canudo retrátil e não vaza. Eu uso muito porque tem uma capacidade boa e comporta bastante líquido. Só que ele toca o chão, sim. Quando o canudo está de pé, que é quando o bebê está com ele para beber, ele vira o suficiente para o canudo tocar o chão. Também, embora não vaze, algumas vezes o ar fica preso no canudo e quando a gente mexe, a bolha sai e traz líquido junto. Ah, e tem que sugar com bastante força para sair líquido…

Alimentação.014

Alimentação

Como eu disse, eu comprei muita coisa. Tem coisas que recém comecei a usar, como o o Pote Porta Biscoitinho, da Munchkin, que o bebê tem que por a mão dentro para pegar o lanche e quando puxa, o lanche que está “demais” fica retido no pote. A Stella consegue por a mão, demorou um pouco pra entender que tem que por a mão fechada pra conseguir pegar o que tem dentro, mas já está craque!

images

Ah, para entender o que eu falei das colheres, dá uma olhada na diferença entre elas:

Alimentação.012

Embora o tamanho da cabeça da colher pareça o mesmo em todas, a profundidade difere.

[Você pode encontrar a maioria desses produtos no e-comerce do Walmart, Baby, Tricae e Bebê Store!]

O que eu posso dizer de tudo isso que comprei “da gringa”? Que é muita frescura para uma criança que quer mesmo jogar tudo no chão! Ela adora o talher de metal que faz barulho e eu acabo dando comida em prato comum porque esse ela não tem força de jogar no chão e, para andar de um lado pro outro, eu levo água na mamadeira, porque é a única coisa que não vaza nenhum pouco e cabe no “porta-mamadeiras” térmico.

Além disso, tenho uma amiga, cuja filha mama exclusivamente no peito e come seguindo o BLW, que não parece sentir falta de nada disso. A bebê dela bebe líquidos em copo pequeno, daqueles de cachaça, sozinha, pegando com as duas mãos. A comida ela deixa direto na bandeja e, sim, fica uma bagunça louca, mas aqui em casa eu coloco em prato e dou uma colher pra ela e ela joga pra todos os lados, da mesma forma que faz quando faço BLW.

Assim, acho que, salvo alguns itens, ninguém sente falta realmente desses importados. Já temos boas marcas que se preocupam em produzir sem BPA e em trazer as novidades para o mercado brasileiro. A forma de silicone pode ser facilmente substituída por formas de gelo, por exemplo. Se você usar colher de metal, seu bebê vai morder uma vez, vai doer e ele vai aprender a não fazer de novo… E por aí vai.

É engraçado como a gente só adquire conhecimento por experiência nesse mundo da maternidade. Aprendi muito isso com o enxoval, os móveis do quarto… Nossa! Mas vamos deixar esse papo para outra hora.

Espero que tenha ajudado alguma das mamães que como eu acabam querendo comprar um mundo de coisas porque parece ser “o melhor para o bebê”. Cada vez mais eu estou achando que o melhor para o bebê é mesmo a mãe! 

😉

— 
Esse post contém links afiliados para sua conveniência.

Compras na Fronteira: Rivera, Uruguai, em tempos de dólar a R$4

UPDATE 2017: Siñeriz Free Shop agora tem maquiagens MAC e roupas de bebê da Carter’s. Os preços são absurdos se comparados ao valor praticado no site da Carter’s. Um trio de body + jaqueta + calça sai por US$13 no site da Carter’s enquanto o preço no Free Shop é de US$29…

Dando uma olhada em coisas de bebês “no lado de lá” da fronteira, notei o absurdo dos preços para nós, pobres brasileiros, nesse momento de cotação absurda. O preço em dólar continua o mesmo, ou até menor, mas a cotação deixa alguns produtos impraticáveis e até mais baratos de comprar aqui mesmo na República das Bananas. Stellinha não ganhará produtos Chicco e Carter’s de mamãe se o dólar continuar assim, e sabemos que vai!

Resolvi então atualizar o preço daqueles mesmos produtos (ou quase!) selecionados no primeiro post sobre Compras na Fronteira, de dezembro passado.

Compras na Fronteira em tempos de dólar a R$4.063

Comparando com o post anterior, é possível notar que o preço em si não é muito diferente, mas a dor no bolso é outra!

Eu pesquiso os freeshops turísticos, ou seja, onde turistas fazem compras e não a galera que compra para revenda (embora proibido pela legislação brasileira…), pois esses tem os produtos mais “luxuosos”, o que mais nos interessa. A maioria desses freeshops estão com a cotação menor do que o mercado, ou seja, US$1 = R$3,90. Um que outro ainda está mais baixo, como R$3,80. Mas antes de reclamar da ganância do dono do freeshop, entenda que eles refletem apenas o cenário econômico vigente. A razão de poderem praticar a cotação (sempre baseado no dólar comercial) um pouco abaixo é devido ao fato de seu estoque ter sido comprado no momento do dólar naquele valor. Mas isso eles só fazem em tempos de crise, no restante do “ano” o dólar acompanha a flutuação.

Dou destaque para o Barão Freeshop que está liquidando estoque e tem vários artigos, de pouco interesse, é verdade, a uma cotação de US$1 = R$2. Isso vale para alguns vinhos e outras coisas que não me chamaram a atenção e principalmente condicionadores de ar. Aí vale a pena! Tem condicionador de ar de 12.000 BTUs de boas marcas congelados a R$789. Isso, no momento que eles fazem a “reconversão” (dólar-real-dólar), sai por um valor abaixo da cota estipulada pela Receita Federal e você não precisa nem pagar imposto. Para quem mora por perto, vale a pena vir só pra isso.

No entanto, eu não vejo vantagem em andar 500km para comprar batom, base e shampoo. Principalmente porque são poucos os produtos que estão com valores realmente abaixo do mercado brasileiro.

Por exemplo, comparando com preços na Sephora:
Esmalte OPI = R$46 (+R$5)
Batom MAC = R$69 (-R$9)
Base ColorStay Revlon = R$87 (+R$28)
Base Superbalance Clinique = R$ 159 (+R$46)
Perfume 212 CH Femme = R$319 (+R$58)

Considerando que pode-se parcelar, ganhar brinde e receber em casa com frete grátis, com certeza vale a pena comprar online e não se jogar para fazer compras na fronteira…

Momento maternidade: tem um óleo da Clarins, o Huile “Tonic” que já ouvi fazer maravilhas pela pele na questão de estrias na gravidez. A Lu Ferreira, do Chata de Galocha, ama ele mas disse ser caro. Quando um blogueira famosa acha algo caro é porque deve ser uma fortuna né? Saí, então, então para procurar aqui e vi que custa US$70. Se imagirnamos um cenário de dólar a R$2, como era quando me mudei para cá, R$140 por milagres em potinhos eu pagaria, mas hoje o “santo” óleo sai por R$273, o que é mais caro que a Sephora, inclusive. Fala sério…  

>.<

728x90_Maquiagens

(Caneta Iluminadora) Corretivo Stay Natural Concealer, Essence

Stay Natural Concealer, Essence | NNDComprei o corretivo Stay Natural da Essence na cor 03 (Soft Nude) no freeshop por US$6, se não me engano e já digo: paguei caro! Não que R$18 em um produto de maquiagem seja caro, mas eu esperava mais…

Eu realmente esperava um corretivo e não uma caneta iluminadora. Por que raios as atendentes de freeshop não sabem nada do que elas estão vendendo? Fico indignada! Eu sei, eu sei, eu deveria parar de ser tão inocente e acreditar nas vendedoras, mas quando eu me coloco no papel de vendedora, eu faço um trabalho tão bom… Sou tão honesta! Mas enfim! Uma caneta iluminadora (a mais!) não faz mal a ninguém!

Segundo a marca:

Este corretor é muito conhecido pelo seu tom natural. A sua textura experimentada e comprovada contém vitamina A e é fácil de aplicar graças ao pincel suave incluído na embalagem. Assim, as imperfeições e as olheiras são disfarçadas perfeitamente.

Abaixo foquei no detalhe da ponta, para mostrar como tem o design clássico de uma caneta iluminadora (ou corretivo de baixa cobertura), seguido das fotos do antes, durante e depois.

Stay Natural

Stay Natural Cor 03

Ela realmente dá uma iluminada, mas nada demais. Talvez se eu aplicar mais produto, fique mais claro, mas… Ainda acho que para corretivo não serve e definitivamente não “disfarça as olheiras perfeitamente”.

20150819_bareminerals

Batom Frosted Look Lipstick, KIKO

Kiko Frosted Lipstick

Comprei esse batom Frosted Look Lipstick, na cor Rossetto em uma loja da Kiko Makeup Milano em Turim, na viagem à Itália, porque… Bem. Porque sim! Haha. Eu sonho com um Chubby Stick da Clinique, mas não tenho coragem de pagar R$89, nem US$20, como custa por aqui, então vou comprando o que eu acho que parecido e baratinho! Eu sei que seria mais fácil e até mais barato comprar a coisa original de uma vez por todas. Mas eu sou “mão de vaca”… #shameonme

Infelizmente o batom, que era de uma linha temporária, já não está mais no site da marca, então não pude pegar a descrição…

Para variar, comprei no tom mais “boca” que me mostraram. Na pele, ele fica bem rosado, mas na minha boca, ele fica quase o tom da minha boca! Confere abaixo:

Kiko Frosted Lipstick Rossetto | NND

As fotos seguintes são dos lábios sem e com o batom:

Kiko Frosted Lipstick.045Kiko Frosted Lipstick.046

O que eu achei chato é que ele não é muito confortável nos lábios. Ele fica um pouco seco demais e marca as linhas dos lábios, as quais eu tenho várias! Além disso, ele não dura muito tem, então a fixação é bem baixa e deixa aquele aspecto um pouco “feio” na boca…

Kiko Frosted Lipstick after eating

Eu confesso que esperava mais da qualidade pelo preço que paguei, comparando a outros produtos da marca… Paguei €8,90, se não me engano, o que equivale a uns R$30. Por esse valor encontro produtos melhores por aqui…

:/

Mudando de assunto, vocês viram que a Sephora está de aniversário?
Publicaram no site alguns produtos que “fazem parte da festa” e estão com até 60% de desconto! Clique na imagem abaixo e aproveite!

destaque-1

Bom final de semana!

😉

(Paleta de) Sombras Infinity Eyeshadow, KIKO

Sombras Infinity Eyeshadow, Kiko | NND

Me diz se não é a coisa mais linda desse mundo? Mostrei a paleta rapidamente no vídeo de Compras da Itália, mas agora vou mostrar com louvor! Haha.

Eu dei sorte de pegar as sombras Infinity Eyeshadow, essas belezinhas da KIKO, em promoção por €2,40 a unidade e comprei apenas seis. Então descobri que levando seis, a paleta (vazia) de 24 cores era de graça! Saí da loja da KIKO em Florença com seis sombras e uma paleta vazia. Fui debatendo se valia a pena comprar o resto ou não até Turim, ou seja, foram cinco dias de tortura! Hahaha. Fiz os cálculos e fico feliz que tenha completado a paleta, principalmente porque comprei com foco profissional. Assim, convertendo a moeda, cada sombra saiu R$8,40. Esse é o preço aproximado de uma sombra da Panvel, só que por essas sombras!!! ❤

Infinity Eyeshadow, Kiko

POR ES-SAS SOM-BRAS!!!

Infinity Eyeshadow, Kiko

As sombras sofreram um pouquinho na viagem, coitadinhas, mas isso acontece porque eu trouxe elas já na paleta para diminuir o volume na mala. Algumas acabaram se soltando, pois são encaixadas, e deram um passeio por cima das outras. Ao menos, nenhuma sombra foi quebrada.

Segunda a KIKO Cosmetics (Portugal):

Sombra inovadora para sistema reposicionável [CLICS] System™ com elevada concentração de pigmentos que proporcionam uma difusão da cor imediata, intensa e homogénea. Máxima cobertura em utilização seca ou molhada.  A fórmula, tecnologicamente avançada, contém ingredientes que garantem o excelente desempenho da sombra e permitem obter um resultado incomparável. A sensorialidade da textura é surpreendente, o toque é aveludado e confortável. A especial consistência da sombra oferece uma ótima modulabilidade da cor, permitindo um esbatimento perfeito. Infinity Eyeshadow tem uma boa aderência e mantém a sua cor pura e brilhante durante bastante tempo. A duração foi testada até 12h*.

Ela é realmente uma sombra MUITO boa. As sombras são muito pigmentadas, as opacas esfumam lindamente e as de efeito molhado grudam que é uma beleza. A mais chatinha de todas são aquelas de efeito brilho, pois secas elas soltam brilho para todos os lados e seu rosto fica uma festa! Claro, não testei com o pincel úmido.
Eu estou realmente apaixonada!

Separei algumas para mostrar para vocês a pigmentação e acabamento. Eu passei o dedo em cada uma apenas uma vez e não tem primer algum.

Sombras Infinity Eyeshadow KIKO

Clicando na imagem você confere de pertinho!

Vamos ver de novo? 😀

Paleta Kiko.018Paleta Kiko.019

É MUITO AMOR!

Eu fiquei meio incomodada com o fato de ter que tirar as sombras da paleta sempre que quisesse saber o nome de cada uma. Estava pensando em fazer um mapa e deixar por perto até que acessei o site da KIKO para fazer esse post e tchã-nã: eles tem um vídeo explicando como montar a paleta! Sério, muito legal! Eu ainda comprei uma paleta de quatro (vazia) para caso eu queira levar algumas em viagem ou algo assim. ❤

Comparando com outras sombras que acho de boa qualidade, como Urban Decay e Mary Kay, digo que as sombras do “sistema Clics” da KIKO não deixam nada a desejar. MESMO. A quantidade de cada sombra é maior do que as sombras unitárias da Mary Kay e, comprando na Europa, claro, o preço é muito menor. Mesmo pagando o preço total (€4,90), o valor ainda é menor do que pagamos nas sombras Mary Kay. E nem vamos mencionar o valor das sombras da Urban Decay!!!

Eu indico com muito amor no coração essas sombras. Eu tenho outras sombras da marca e gostei de algumas e de outras não, mas essa linha é realmente incrível! Quem tiver oportunidade de comprar em viagem, compre! A KIKO tem lojas espalhadas por toda a Europa.

Para quem não tem essa possibilidade, eu trouxe três exemplares que achei que formariam um look incrível, bem festivo, e deixei para venda na loja do blog e no Enjoei. O preço difere pois o Enjoei cobra comissão sobre cada produto.

P.S.: Mais sobre a KIKO? Delineador em Caneta Ultimate Pen Long Wear Eyeliner, KIKO; Corretivo Natural Concealer, KIKO.

 maisvendidosmaybelline20150528