O Segundo Trimestre

STELLA1

Já se passaram mais três meses e eu quase não vi!

O segundo trimestre inclui da 14 a 27 semana, aproximadamente, e é dito como o melhor dos três! Teoricamente, é nessa fase que você não tem enjôos, dores, nem tanta vontade de ir ao banheiro. Comigo não foi bem assim…

Nesse segundo trimestre a barriga cresceu bastante. Principalmente no final! Em cinco semanas, da 22 até a 26, a circunferência da cintura cresceu dez centímetros. DEZ. Infelizmente esse crescimento não passou desapercebido pela balança… Haha! Como eu havia emagrecido no primeiro trimestre, o ganho de peso líquido não foi tão absurdo, mas só nesse segundo trimestre foram quase cinco quilos. Isso se deveu a alguns fatores como a abominável dor nas costas que comentei em post anterior, o que me afastou dos exercícios de qualquer tipo e me aproximou da geladeira… Se deve também à volta da farinha branca em minha vida – pela semana de número 20 surgiu uma loucura por bolos, cucas e pães que não tinha até então – e também, acredito eu, pela diminuição na quantidade de água ingerida. Eu bebo muita água em uma situação apenas: quando estou no computador. Nesse tempo todo que passou, fiquei bastante longe do computador. Assisti muitas séries no período da dor nas costas; trabalhei mais do que gostaria e me estressei mais do que deveria. Isso fez com que tomasse menos água, também.

Passei a ter refluxo nas primeiras semanas desse período, mas não acontece mais. No entanto, desde o final do primeiro trimestre eu tenho formigamentos nas pernas enquanto durmo e acordo com dores, com a sensação de peso nas pernas, o que não é nada agradável! Nas últimas semanas, essa sensação ficou mais forte e eu acordo algumas vezes durante a noite para trocar de posição. Já as idas ao banheiro realmente diminuíram ao longo do segundo trimestre, ao ponto de eu não precisar levantar no meio da madrugada. Mas no final, a frequência das idas ao banheiro voltou a aumentar e agora me levanto ao menos uma vez por noite. Algumas vezes a Stella não me deixa voltar a dormir… Comecei a sentir os movimentos por volta da semana 18. No início eu não sabia se era ela ou algum efeito colateral da comida, sabe? Com o tempo notei que os movimentos eram muito frequêntes… Hehe. Já na semana 21 meu marido começou a sentí-la também. E como se mexia essa menina! Mexeu bastante por algumas semanas e depois foi ficando menos frequente, embora aconteça sempre após as refeições. Na verdade, eu não sei se se tornou menos frequente ou se me acostumei e passei a dar menos atenção, sabe? No início é muita novidade e eu ficava prestando atenção para entender e reconhecer os movimentos. Depois, virou rotina! >.< Mas ela mexia muito por volta das cinco horas da madrugada e antes de dormir, quando ficávamos conversando na cama. Agora ela já pegou o ritmo da mãe e dorme toda a noite! :p
Mas uma coisa muito chata que acontece é que ela mexe exatamente até o momento de eu pegar a câmera para gravar ou alguém colocar a mão na minha barriga. Ela só não pára comigo ou com o Leandro. Acho que a menina é tímida!

Algumas mudanças no corpo que pude notar foram a sensação de peso, principalmente nas pernas, que eu atribuo ao ganho de peso em si, assim como a falta de exercícios; a vontade maior de comer; um certo inchaço com o calor que fez em alguns dias das últimas semanas, o que gerou até queda de pressão; e o cansaço. Subir a rua da minha casa para o mercado me deixa ofegante. Durante um período curto, qualquer caminhada me deixava a sensação de que havia algo pulando sobre minha bexiga. Muito doido! Até a semana 27 não havia inchado nem notado nenhuma estria, mas como “cenas do próximo capítulo”, posso dizer que isso muda (estou na semana 29, agora!).
Uma coisa que não notei foram os tais sonhos estranhos. Ok, os sonhos acontecem e não são super normais, mas na verdade, eles nunca foram! Haha. Já meu sono continua o mesmo. E eu não consigo dormir muito além do de costume e muito menos tirar sonecas…

Emocionalmente esse trimestre foi mais estável, mas tive vários momentos de nervosismo pensando que eu não estou preparada e etc. O legal é que ela sempre mexe quando eu choro. Minha mãe disse que eu fazia a mesma coisa. Sabe como é… Mulheres unidas jamais serão vencidas! Haha. Também foi um período mais cansativo. Me atarefei além do que gostaria no trabalho e agora, no último trimestre, em decorrência de umas coisas que ocorrem no trabalho com as quais eu não concordo, resolvi dar uma pausa. No entanto, a ansiedade continua alta, principalmente após acompanhar as palestras ministradas pela Unimed da minha cidade. As palestras tem o intuito de esclarecer aspectos com relação à gestação e ao recém nascido, mas algumas delas como a palestra que tratava do pré-natal e do parto me deixaram apavorada. O Leandro também saiu apavorado da palestra sobre parto. Embora o médico palestrante fosse muito pró parto normal, a quantidade de coisas que ele e outros médicos dizem ser condição pré-requisito para ter um parto normal é muito extensa. Isso fez com que eu me apavorasse, uma vez que esse é o tipo de parto que espero ter, e começasse a pesquisar melhor sobre o assunto. De acordo com os médicos, somos realmente milagres se não nascemos de cesárea, afinal, tudo leva à um parto cesáreo! Definitivamente não é possível que essa seja a maneira mais “segura” de nascer, senão, a seleção natural já teria dado um jeito nisso! ;p É legal se informar bastante sobre isso, e uma pena que parto normal tenha virado artigo de luxo e atualmente seja um privilégio… Recomendo que assistam tudo que seja possível sobre o assunto, mas não virem radicais, ok? Ainda vivemos num país com liberdades individuais!

Com relação aos preparativos, esse trimestre compramos muitas coisas. Eu aproveitei umas promoções do site enjoei.com.br e comprei várias coisinhas. Algumas usadas, outras nunca usadas e até algumas manchadas! Haha. Mas eu não havia visto isso nas fotos, não. :s O “grosso” do enxoval eu comprei na loja Grão de Gente, online. Já os móveis, eu havia comprado lá no início da gravidez, também online, na Tricae. Finalmente estão montados! Também, mandei fazer um berço acoplável à cama. Minha idéia era não deixar o bebê no meu quarto, mas tanta gente me disse que é impossível não deixar por menor que seja o período… Ok. Cedi! O legal é que o móvel vira um sofazinho para o quarto do bebê depois. Não que eu tenha espaço para ele depois, mas a gente dá um jeito! Haha.
Também, ganhei vários presentes dos mais chegados e não vou nem comentar os presentes das avós, né? Incrível como elas vão à loucura com o primeiro neto! Haha. Ainda assim, ainda faltam algumas peças de tamanho RN e P, mas estou dando prioridade ao tamanho P, porque nunca se sabe, né?! Nasci com 3.300kg e meu marido com 4.200kg. Se for pensar na média de peso… Jesus! Tomara que passe! Hahaha.

Acho que era isso, viu? Três meses é um longo período para se lembrar e, embora eu tenha encontrado um site para se manter um diário online, o babylife.me – o qual agora não consigo acessar! -, eu não tenho escrito nele, não…

😀

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s